Sem médicos, duas unidades deixam de fazer perícia

25 de Julho de 2014
Fonte: Tribuna do Norte.

Por falta de médicos peritos, as juntas médicas do Instituto de Previdência dos Servidores do Rio Grande do Norte (Ipern) em Mossoró e Caicó não estão realizando perícias. A situação tem obrigado os servidores do Estado que precisam do serviço e que moram nessas cidades e municípios vizinhos a se deslocar até Natal, única das quatro juntas existentes no RN que está funcionando.

O problema já tem pelo menos três meses. De acordo com informação é do próprio presidente do Ipern, José Marlúcio Diógenes Paiva, o atendimento na junta médica de Natal, no entanto, não está sobrecarregado, apesar de ter aumentado. Além disso, a assessoria de comunicação do Ipern disse que a junta médica de Pau dos Ferros está funcionando às terças e quintas, com média de 40 atendidas diariamente.

Antes da paralisação dos serviços nas unidades do interior, a média diária de pessoas atendidas em Natal ficava entre 32 e 40. Assim que parou o serviço em Mossoró (entre as juntas do interior é a que tem maior demanda) a média de atendimento na unidade da capital saltou para um patamar diário entre 46 e 68. Atualmente, a sede do Ipern atende de 35 a 50 pessoas, diariamente.

Segundo José Marlúcio Diógenes Paiva, trabalham no local 11 peritos, número que atende tranquilamente – sem filas nem qualquer outra dificuldade – os servidores que procuram a perícia. “Só tivemos grandes filas aqui assim que terminou a greve dos funcionários do Ipern, no final de junho, mas está tudo normalizado”.

O serviço em Natal pode estar funcionando bem, como, de fato, a reportagem da Tribuna do Norte constatou na manhã de ontem (24), mas isso não resolve o problema dos servidores do Estado que moram em Mossoró, Caicó e Pau dos Ferros e cidades próximas. Aqueles que precisarem se submeter à perícia médica para fins de obter licença médica ou aposentadoria por invalidez terão que se deslocar até Natal.

O pior é que a solução do problema pode demorar. O presidente do Ipern informou que as juntas de Mossoró, Caicó e Pau dos Ferros funcionavam cada uma com três peritos, mas, por motivo de aposentadoria e relocação, ficou um médico apenas em cada, quando são necessários dois, no mínimo, para realizar uma perícia.

Ele solicitou à Secretaria de Saúde do Estado apoio para sanar o déficit no quadro de peritos. Entretanto, por meio de sua assessoria, a Sesap informou à TN que no último concurso público, realizado em 2010, não foi aberta nenhuma vaga para peritos médicos.

“A Secretaria está vendo o dimensionamento para um novo concurso, mas só em 2015. Nesse concurso, poderão ser abertas vagas para peritos”, disse o subcoordenador da Assessoria de Comunicação Social da Sesap, Christiano Couceiro, enfatizando que a obrigação da contratação dos médicos, nesse caso, é uma obrigação do Ipern. “A Sesap está participando como colaboradora”.

Comentário

*

captcha *