Sucesso nas finanças: Previdência social ou privada?

Pelo que se tem observado, o retorno esperado da previdência privada, a longo prazo, é melhor que o retorno do INSS e os riscos relativos não são tão altos.

25 de julho 2014-
Fonte: O Dia.

Rio – Pelo que se tem observado, o retorno esperado da previdência privada, a longo prazo, é melhor que o retorno do INSS e os riscos relativos não são tão altos. Muitos trabalhadores brasileiros, porém, acreditam que contribuir para o INSS é mais seguro do que para a previdência privada, principalmente pelo fato de haver garantia do governo.

A aposentadoria complementar está exposta aos períodos de crise e aos transtornos causados aos bancos vinculados a elas.

Além disso, é muito difícil manter os níveis salariais alcançados por quem contribuiu ao longo do tempo para a Previdência Social depois que o trabalhador dá entrada no pedido de concessão do benefício do INSS.

Abaixo, saiba mais sobre esse assunto.

Por Jair Abreu Júnior

PERGUNTA E RESPOSTA

“Mesmo quem paga previdência privada tem que acompanhar a previdência do governo? Por quê?”

Oswaldo, Ipanema

Oswaldo, todo trabalhador formal brasileiro é automaticamente um segurado do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). A previdência complementar, como o próprio nome já diz, é uma escolha para aqueles que quiserem garantir no futuro uma renda mais adequada às suas necessidades. Ou seja, serve para complementar o valor da aposentadoria do trabalhador. Por ser administrada por instituições financeiras, é conhecida como previdência complementar.

Não vejo como seria possível viver no Brasil, atualmente, sem aposentadoria privada. É muito difícil manter os níveis salariais alcançados por quem contribuiu ao longo do tempo para a Previdência Social durante muito tempo e que ao se aposentar tem seus rendimentos reduzidos. O INSS sofre de gigantismo administrativo, o que não permite uma gestão mais eficiente. Dessa forma, podemos perceber com clareza a ineficiência operacional em todas as unidades do órgão.

Os recursos que mantém os pagamentos dos aposentados não estão vinculados aos valores recolhidos pelos mesmos ao longo do tempo e, sim, às contribuições econômicas atuais. Ou seja, aquelas contribuições que já foram consumidas há muito tempo. Como a população brasileira está vivendo mais, o fator previdenciário faz o trabalhador pagar por mais tempo a previdência para equilibrar suas contas.
Deste modo, as preocupações com relação ao destino dos recursos são válidas, mas entre as duas, sou de opinião que a aposentadoria privada é bem mais adequada para quem pretende manter um determinado padrão de vida ao parar de trabalhar.

Nesse contexto, acho sim que você deve acompanhar o que ocorre na previdência do governo, uma vez que essas informações podem servir, também, de balizadores e parâmetro de análise sobre o contexto previdenciário do país. Mas procure fazer paralelamente uma previdência privada para se resguardar no futuro. Boa sorte!

Comentário

*

captcha *